O que você precisa saber está nos livros

Compartilhe este texto:

 

Na semana que está passando  estive na Feira do Livro de Porto Alegre,na Praça da Alfândega, pela terceira vez , para autografar um livro de crônicas. Nas outras 62 edições estive lá como leitor. Essa fidelidade aos livros vem desde os primeiros anos da minha juventude quando descobri que tudo o de mais importante que a humanidade já construiu está  nas páginas dos livros.

Minhas grandes descobertas se fizeram nos livros, principalmente nos romances. O humanismo socialista tem muito a ver com Jacques, do livro de Roger Martin Du Gard, Les Thibault. Foi esse mesmo autor que me ajudou a superar a ignorância da religião com o Drama de Jean Barois.

Com o passar dos anos transformei desconhecidos em grandes amigos, independente de suas nacionalidades.

A intimidade se tornou tão grande que hoje nem falo mais seus nomes completos.

Nessa grande confraria tem brasileiros, como Machado, Drummond, Érico, Amado, Raduan, Chico, Euclides e Rosa.

Portugueses, como Eça e Saramago.

Russos, como Tolstoi, Gorki.Nobokov e Dostoiesviski.

Alemães, como Mann, Brecht e Hesse.

Italianos, como Eco, Moravia, Calvino e Lampedusa

Franceses, como Du Gard, Rolland,Stendhal, Balzac, Flaubert  Sartre.

Os  americanos, como Hemingway, Mailler, Roth, Bukowski, Vidal, Faulkner, Talese, Capote

Os ingleses, como Shakespeare, D.H Laurence, Huxley, McEvans, Agatha, Wilde, Orwell, J.K. Rowlling.

Os espanhóis,  como Cervantes, Lorca e Semprúm.

Os latinos como Garcia Marques, Llosa, Cortazar, Neruda, Borges, Benedetti, Galeano, Fuentes, Padura, Martinez, Scorza, Mariategui.

Devo ter esquecido, como sempre acontece, alguns desses amigos.

Sem abandoná-los, em algum momento, achei que era necessário ler livros “sérios” que analisassem o mundo contemporâneo e me ensinassem o caminho para o humanismo marxista, começando pelo velho Marx, uma leitura nem sempre fácil, mas compensadora.

Depois, Engels, Lenin, Trotsky e os novos como Zizek, Meszaros, Losurdo.

Misturado com eles os historiadores como Chomsky, Deutcher, Hobsbawn, Shire. Gorender,  Werneck Sodré, Caio Prado.

Os combatentes pelo ateísmo como Richard  Dawkins, Hitchens;

Os filósofos, os ensaístas e os que escreveram grandes as biografias.

Em cada um deles, um ensinamento, um passo adiante na busca do verdadeiro homo sapiens que todos nós deveríamos almejar ser, principalmente agora que o Brasil está sendo governado por pessoas que certamente abominam os livros

 


Compartilhe este texto:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *