O Diabo está de volta

Compartilhe este texto:

Depois de um longo período em que a Igreja Católica tratava o Diabo mais como um símbolo do mal do que como Lúcifer, o anjo decaído da história bíblica, surge um movimento para recuperar sua imagem tradicional, há muito esquecida pelos padres mais esclarecidos.
É a volta Diabo, também conhecido no Brasil por muitos nomes, como Satanás, Demônio, Capeta, Satã, Cornudo, Chifrudo, Belzebu, Cão Tinhoso, Anjo Mau e Príncipe das Trevas, para disputar com Deus e sua corte celestial, a fidelidade dos homens.
Enquanto o Diabo faz o seu retorno à cena religiosa, zelosos padres paulistas se preparam para as duras batalhas que se avizinham. Matéria publicada pela Folha, conta a história do esforço que estão fazendo alguns bispos e padres do interior de São Paulo para recuperar a prática do melhor remédio que a igreja criou para expulsar o Diabo do corpo dos seus fieis, o exorcismo.
Essa prática ganhou um maior conhecimento público depois do sucesso do filme O Exorcista,dirigido por Willian Friedkin, em 1973, baseado no livro de Willian Peter Blatty foi lançado em 1971 .
Um dos padres citados na matéria jornalística chegou a afirmar que “não crer em Satanás é um fato gravíssimo que tem consequências terríveis. É um pecado pelo qual são responsáveis, desgraçadamente, muitos homens da igreja”.
Monsenhor Rubens Zani, que se diz exorcista, tem uma história para justificar a importância dessa prática de enfrentamento às artimanhas do Demônio. Diz ele que, vivendo na África conheceu um atleta que vencia todas as provas: “ninguém o vencia, quebrava recordes, era uma coisa fantástica”, conta o monsenhor. “Depois de um tempo, o feiticeiro pediu para que ele jurasse de morte um familiar como uma homenagem ao Demônio. O escolhido foi o irmão mais novo, que teria morrido repentinamente. E o esportista continuou subindo na profissão. Depois, outro pedido de morte: o beneficiário do acordo deveria ceder a alma da mãe. Ele se negou. O sucesso acabou, e o material esportivo que ele tinha em casa virou cinzas”.
São histórias fantásticas como esta que alimentam a crendice das pessoas e fazem o sucesso de quem aposta no sobrenatural. Muitas vezes, porém, elas se transformam em tragédia como o ocorrido com Anneliese Michel, em Leiblfing, Alemanha, que morreu, em 1975, desidratada e malnutrida. Apesar de ter passado por instituições psiquiátricas, onde era tratada pela epilepsia que lhe causava constantes ataques convulsivos, a garota vinha sendo exorcizada, com a anuência dos seus país, depois que um padre identificou nesses ataques uma prova de que ela estava possuída pelo demônio. A Justiça condenou os pais e o padre, mas eles cumpriram suas penas em liberdade condicional. Essa história foi contada no filme O Exorcismo de Emily Rose, dirigido por Scott Derrrickson em 2005.
Prova de que a Igreja Católica está tratando o assunto com seriedade foi a realização, em Roma de um curso de exorcismos com o objetivo de “defender os fieis do Demônio e do perigo das seitas e do esoterismo”. O curso foi organizado pelo Instituto Sacerdos, com o patrocínio da Congregação Vaticana para o Clero, com a presença de muitos padres brasileiros.
Além da luta contra o Diabo, ficou implícito no programa do curso, a preocupação com o crescimento das igrejas pentecostais, que há muito se dedicam às sessões de exorcismos como um ritual comum em suas reuniões. Tratar o Demônio como um ente quase físico como fazem os pastores das igrejas pentecostais em suas pregações para fieis pouco instruídos, faz muito mais sucesso do que a metafísica presente até agora na maioria dos discursos dos padres católicos.
A prova do sucesso das igrejas pentecostais, no Brasil por exemplo, está no número cada vez maior de fiéis calculado pelo IBGE em mais de 20 milhões de pessoas. Só a Assembleia de Deus tem cerca de 8 milhões e meio de crentes, num processo de cooptação de novos adeptos turbinado pelo uso massivo dos meios de comunicação, principalmente a televisão
As igrejas pentecostais brasileiras se transformaram em produtos de exportação. Muitas delas já atuam no Exterior, tanto nos países vizinhos do Brasil, como também nos Estados Unidos e Europa.
Quem foi mais longe é a Igreja Internacional da Graça de Deus, do Missionário R,R, Soares ( o nome completo é Romildo Ribeiro Soares), que ocupa diariamente o espaço nobre da televisao e que, fazendo jus ao seu nome, tem 2 mil templos espalhados por 11 países, inclusive o Japão e África do Sul.
Se você estiver na República Tcheca, zapeando na televisão à procura de um programa que não seja na língua local, incompreensível para nós, brasileiros, corre risco de dar de cara com o Missionário R,R. Soares, dublado para o tcheco e certamente falando dos milagres que sua igreja realiza todos os dias, mas não esquecendo de cobrar os indefectíveis dízimos, obrigatório para todos os fieis.
Nessa hora em que as igrejas falam em exorcismos e milagres, o melhor que se pode fazer é lembrar os argumentos sempre tão lúcidos de Richard Dawkins:
“Quanto mais refletimos, mais percebemos que a própria idéia de um milagre sobrenatural não tem sentido. Se acontecer algo que pareça inexplicável pela ciência, podemos, com segurança, concluir uma dentre duas coisas. Ou não aconteceu realmente (o observador se enganou, mentiu ou foi logrado por um truque) ou estamos diante de algo que a ciência ainda não sabe explicar. Se a ciência atual encontra uma observação ou um resultado experimental que não consegue entender, não devemos descansar até que ela evolua o suficiente para encontrar a explicação.”


Compartilhe este texto:

1 comentário em “O Diabo está de volta”

  1. Nos idos do anos 40, em minha cidade, Antônio Prado, o velho pároco Giusepe Benini, foi procurado por um casal de colonos. Motivo: implorar ao padre para que fosse à casa deles, exorcizar uma filha de 15 anos que estava tomada pelo demônio. Padre Benini, já por volta dos 70, argumentou que ele e sua mula já estavam velhos demais para viajar para as colônias distantes e , cáspite, que trouxessem a filha até a casa canônica,onde ele a veria.
    Quinze dias depois, entraram na sala do velho Padre, os pais da endemoniada e ela.Uma jovem, morena clara, de longa cabeleira lisa e negra, seios a estourar para fora da blusa e intensos e perturbadores olhos verdes.Uma farta e evidente cornucópia de desejos estrogênicos
    O santo homem olhou fixamente para ela, observou-a atentamente por alguns minutos , dirigiu-lhe algumas palavras afetuosas e por fim , disse para os angustiados pais:
    ” Ella no ga mia el demonio, la gá el morbin, fella maridarse, che tuto paserá.”.
    A perturbadora jovem, um anos depois se casou, teve 11 filhos e nunca mais o demônio incomodou a ela e aos seus pais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *