O maior partido do Rio Grande.

Compartilhe este texto:

 

Quando eu era assinante da Zero Hora, periodicamente cancelava a assinatura, irritado com alguma matéria mais mal intencionada que o normal. Um dia ou dois depois,recebia um telefonema e uma voz feminina, sempre amável, obviamente recitando um texto que lhe ensinaram, perguntava por que um assinante tão antigo tinha abandonado o jornal. Quando eu dizia que era pela linha cada vez mais de direita do jornal e seus colunistas, vinha sempre a mesma resposta.
– Mas temos dois colunistas de esquerda, o Luís Fernando Veríssimo e o Moisés Mendes, o senhor não gosta deles?
Isso, foi quando o PT era governo, aqui no Rio Grande e no País.
Quando o PT deixou de ser governo, a Zero Hora manteve o Luís Fernando, para não perder leitores, mas mandou o Moisés embora, porque não precisava mais dele.
Agora, ele se apresenta como candidato a deputado estadual pelo PT, logo o PT.
Como lembra a Vera Spolidoro, durante anos escreveu os editoriais do jornal e quando morreu o Paulo Santana, digo eu, já não sendo mais funcionário do jornal, escreveu um lamentável panegírico ao morto. 

Agora pretende ser mais um candidato do maior partido do Rio Grande, a RBS, a se eleger. Não bastam o Sérgio Zambiasi, a Ana Amélia, o Lasier Martins, no Senado; o Britto, deputado federal e depois governador; o Affonso Motta, na Câmara Federal e até Paulo Borges, o Homem do Tempo, na Assembléia. 

Será que a RBS precisa eleger um ex-funcionário para mostrar ainda mais o seu poder ?


Compartilhe este texto:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *