Ao vivo do Calvário

Compartilhe este texto:

Um grande escritor pode escrever livros menos importantes, mas mesmo assim muito interessantes, caso do americano Gore Vidal (1925/2012).

Autor de obras clássicas, como Império, Washington DC e Burr, Gore escreveu um pequeno livro, cheio de ironias e que merece ser lido: ao Vivo do Calvário.Graças a um extraordinário avanço tecnológico, a rede de TV NBC conseguiu voltar ao passado e vai transmitir ao vivo a crucificação de Cristo.

Herdeiro de uma tradicional família americana, Gore Vidal começou cedo na literatura com o livro A Cidade e o Pilar (1948), que escandalizou a sociedade americana por falar abertamente sobre a questão do homossexualismo.

Gore, um gay assumido, foi o roteirista de Ben Hur (1959), dirigido por Willian Wyler e segundo contou depois, conseguiu colocar na relação de Ben Hur (Charlon Heston) com Messala (Stephen Boyd) um viés homossexual. Segundo ele, Heston, um machista assumido e presidente do Clube do Rifle, nos Estados Unidos, nunca se deu conta disso.


Compartilhe este texto:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *