Ao estilo de Milton Ribeiro, porque hoje é sábado

Compartilhe este texto:

Carlos Drummond de Andrade é o maior poeta da língua portuguesa e entre suas melhores poesias está Tempo de Homens Partidos.

 

carlos-drummond-3

Esse é tempo de partido,
tempo de homens partidos.

Em vão percorremos volumes,
viajamos e nos colorimos.
A hora pressentida esmigalha-se em pó na rua.
Os homens pedem carne. Fogo. Sapatos.
As leis não bastam. Os lírios não nascem
da lei. Meu nome é tumulto, e escreve-se
na pedra.

Visito os fatos, não te encontro.
Onde te ocultas, precária síntese,
penhor de meu sono, luz
dormindo acesa na varanda?
Miúdas certezas de empréstimos, nenhum beijo
sobe ao ombro para contar-me
a cidade dos homens completos.

Calo-me, espero, decifro.
As coisas talvez melhorem.
São tão fortes as coisas!
Mas eu não sou as coisas e me revolto.
Tenho palavras em mim buscando canal,
são roucas e duras,
irritadas, enérgicas,
comprimidas há tanto tempo,
perderam o sentido, apenas querem explodir

 

Lembrei dele no almoço de sábado, num restaurante da Zona Sul.

Numa mesa próxima estava um homem com uns 40 anos, almoçando com seus dois filhos, o maior com uns 10 anos e o menor, com no máximo 7 ou 8 anos.

Fiquei imaginando: é mais um cara que se separou da mulher e passa apenas os fins-de-semana com os filhos.

Nesses dias , eles são figurinhas fáceis em restaurantes e churrascarias.

Achei triste esta história de homens partidos, de mulheres partidas, de casamentos partidos.

Quem estava comigo lembrou que talvez seja melhor se separar do que manter casamentos de aparência.

Certamente.

Mas quando aquele cara, com os filhos na mesa ao lado, por exemplo, casou com uma mulher que nem imagino como seja, os dois estavam querendo ser felizes.

Talvez tenham sido durante algum tempo, mas aí tudo acabou.

O homem tem um ar simpático e bonachão. Certamente o seu rompimento com a mulher não foi algo traumático, do tipo que termina em delegacia.

Deve ter sido aquela situação onde tudo vai terminando aos poucos.

Provavelmente (e, então, me entrego totalmente às especulações) a mulher quis terminar o casamento porque sentiu que sua vida se encaminhava para uma idade onde não se espera mais grandes emoções e ele, pelo contrário, estava conformado com isso.

Será que ficou melhor para os dois.

Para ele, provavelmente não.

Fiquei tentado a dizer que lesse Drummond para se consolar, mas ele não entenderia minha sugestão.

Saí do restaurante quando ele pedia um sorvete de sobremesa para os filhos.


Compartilhe este texto:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *